FedEx prevê mais desaceleração pela frente

Airbus A300F da FedEx

Uma fraca demanda nos Estados Unidos e na Europa por eletrônicos feitos na China puxou para baixo os volumes de carga aérea internacional, num gritante exemplo do enfraquecimento do comércio global.

A FedEx Corp. divulgou uma alta no lucro de seu primeiro trimestre fiscal, mas a maior transportadora de cargas aéreas do mundo reduziu a previsão de lucros para o ano para ajustar-se à demanda mais fraca que o presidente da empresa, Fred Smith, atribuiu à desaceleração das vendas de eletrônicos produzidos na Ásia.

“O consumidor simplesmente perdeu o apetite” para gastar, disse Smith durante uma teleconferência depois da divulgação do balancete. Como resultado, acrescentou, “prevemos que não haverá um pico significativo [na alta temporada de envios] este ano”.

A desaceleração se estende aos fabricantes de peças automotivas e industriais, de confecções mais caras e de alimentos perecíveis que costumam lotar os porões dos aviões da FedEx e de rivais como a United Parcel Service Inc. e a Cathay Pacific Airways Ltd.

O Aeroporto Internacional de Hong Kong, que tem a maior a operação de carga aérea do mundo, teve queda de 11% nas exportações em agosto em comparação com um ano antes; Japão e Taiwan também sofreram declínios de dois dígitos.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo, entidade setorial conhecida como Iata, advertiu esta semana que o mercado de carga aérea não poderá se recuperar até meados de 2012.

A tendência tem sido mais evidente na divisão internacional de entregas expressas da FedEx, onde o volume caiu 4% no primeiro trimestre fiscal depois de ter subido 6% no trimestre anterior e 10% no ano fiscal mais recente.

A FedEx, com sede em Memphis, informou que seu lucro, em comparação com um ano atrás, aumentou 22%, para US$ 464 milhões, no primeiro trimestre fiscal, que terminou em 31 de agosto. O faturamento aumentou 11%, para US$ 10,5 bilhões. Mas a empresa reduziu sua previsão de lucro para o ano inteiro em meio a expectativas de que o crescimento econômico tende a desacelerar-se.

A companhia também rebaixou sua previsão de crescimento do produto interno bruto dos EUA este ano, de 2,5% para 1,8%

Fonte: http://online.wsj.com/search/term.html?KEYWORDS=BOB+SECHLER&bylinesearch=true

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s