Novo impasse trava obras no aeroporto de Ribeirão Preto

 

Um impasse entre a Prefeitura de Ribeirão Preto (313 km de São Paulo) e o Estado sobre quem arcará com a remoção de favelas vizinhas ao aeroporto Leite Lopes pode travar novamente a internacionalização do local.

Pelo novo projeto, o tamanho útil da pista, hoje de 1.800 m, precisa ser ampliado para 2.100 m para permitir que grandes aviões façam voos internacionais de cargas e, um dia, de passageiros.

Mas para que essa mudança ocorra, 323 imóveis, entre terrenos e imóveis, precisam ser removidos do entorno do aeroporto, segundo cálculo da prefeitura –a maioria é de barracos de favelas.

O impasse em mais um capítulo da novela Leite Lopes ocorreu durante reunião na manhã desta segunda-feira (19) entre a prefeita Dárcy Vera (PSD) e o secretário de Estado de Logística e Transportes, Saulo de Castro Abreu Filho.

O encontro deveria ter sido de consenso. Seria o resultado de um esforço mútuo para achar uma alternativa a um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado em 2008 com o Ministério Público Estadual que proibia a ampliação da pista.

Na reunião de ontem, o Estado apresentou a minuta do projeto, orçado em R$ 178 milhões. Desse total, segundo a proposta, R$ 46 milhões deveriam ser financiados pela prefeitura. Parte desse valor, R$ 25 milhões, deveria servir para remover favelas –sendo R$ 15 milhões a serem aplicados ainda neste ano.

‘SURPRESA’

À Folha a prefeita se disse surpresa com a informação e disse só ter a verba de R$ 21 milhões para alterar a avenida Tomas Alberto Whatelly, para onde avançaria a pista.

“Foi combinado uma coisa e queriam jogar para a prefeitura uma outra responsabilidade. Essa [remoção de favelas] é uma responsabilidade do governo do Estado.”

Abreu Filho, por sua vez, afirmou que convênios pressupõem compromissos de ambas as partes. “As desapropriações nós faríamos, mas a retirada da favela é questão do município. É ele quem cuida disso.”

Segundo Dárcy, a promessa do governador Geraldo Alckmin (PSDB) era de cuidar das remoções. A assessoria do governador informou que o Estado se comprometeu com desapropriações de imóveis regulares, mas nunca disse que removeria favelas.

Dárcy pediu à CDHU se pode ceder casas para o projeto. Nova reunião ocorre na próxima semana. No final do dia, Dárcy pediu, pelo Twitter, para falar com Alckmin ao telefone.

Fonte: http://www1.folha.uo…rao-preto.shtml

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s