São Paulo-Zurique foi a rota mais rentável da Swiss em 2011

Airbus A340 da Swiss

A rota São Paulo – Zurique foi no ano passado a mais rentável de toda a malha da companhia aérea suíça Swiss. “A taxa de ocupação tem uma média de 90%”, afirmou Markus Altenbach, diretor de vendas da Swiss para a América Latina. Segundo o executivo, tradicionalmente as rotas mais rentáveis são com destino a países como Estados Unidos e Japão. “Espero que a rota São Paulo se mantenha entre as mais lucrativas”, disse. A Swiss possui um voo diário entre São Paulo e Zurique.

Altenbach disse que um dos principais desafios para o setor de aviação neste ano é a oferta crescente e o preço do petróleo, que deve continuar subindo. Por isso, segundo ele, o foco em aeronaves mais econômicas é fundamental e, nesse sentido, citou como exemplo a encomenda de 30 unidades do Bombardier CSeries, modelo que está sendo desenvolvido pela empresa canadense, que é concorrente direta da Embraer. O negócio é orçado em mais de US$ 1 bilhão. A Swiss será a primeira empresa no mundo a receber o C Series e os usará nos seus voos dentro da Europa. “Estamos desenvolvendo junto com eles a cabine e o espaço interno”, disse o executivo.

Questionado do porquê da opção pelo produto da Bombardier, e não os modelos da Embraer, o diretor da Swiss disse que foi uma decisão e econômica. “Avaliamos questões como consumo de combustível e o preço das aeronaves.” A previsão é que elas sejam entregues em 2014, mas já se fala no mercado em possíveis atrasos. Altenbach, porém, minimizou essa questão. “Se houver atrasos, será uma questão de meses.”

A Swiss foi criada em 2002, depois da falência da companhia aérea suíça Swissair. Atualmente a empresa é uma subsidiária da alemã Lufthansa.

Swiss estuda quer avião maior na rota GRU-Zurique

O voo São Paulo (GRU) – Zurique, na Suíça, poderá ser operada com um avião maior nos próximos anos. Atualmente o voo diário e direto entre os dois países é feito com o Airbus A340-300, configurado em três classes – oito na primeira classe, 48 na executiva e 172 na econômica.

A ocupação média dos voos entre Brasil e Suíça tem beirado os 90%. “Cerca de 60% da ocupação é corporativa e 40% vêm dos outros nichos de mercado, como étnico e lazer, por exemplo”, emendou Altenbach. “Isso pode variar para mais ou menos dependendo do mês”, ponderou ele.

Com esse cenário – e Altenbach acredita que 2012 também será bom para a empresa no País –, a Swiss poderá colocar um avião maior na rota. “A companhia já estuda qual modelo irá substituir os Airbus A340 nos voos de longo curso e, como há o desejo de ampliar a oferta para o mercado brasileiro, esse novo jato poderia ser utilizado aqui também”, explicou o diretor.

“Interesse em ampliar o número de voos por aqui não há, visto que trabalhamos em sinergia total com a ´empresa-irmã´ Lufthansa, que mantém outros voos para a Europa – dois para Frankfurt (um de Guarulhos, diário, e um do Rio de Janeiro, seis vezes por semana) e um para Munique (desde Guarulhos, diário), ambas na Alemanha”, finalizou o executivo.

@Aidan: Avião maior que o A340-300? Algo me diz que um Boeing 777-300ER cairia como uma luva neste voo…No entanto, é bem provável que a Swiss escolha o novo Airbus A350 para substituir seus A340.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s