Mais sobre a união Azul-Trip

Embraer 195 da Azul

A Azul terá uma fatia de cerca de 66% e a Trip ficará com aproximadamente 33% da empresa a ser criada com a fusão das duas companhias. De acordo com as aéreas, o negócio envolve apenas troca de ações. A expectativa das empresas é faturar, conjuntamente, R$ 4,2 bilhões este ano.

O conselho de administração da holding Azul Trip S.A., que será criada, vai ser composto por dez membros. Quatro serão da Azul, incluindo o fundador da companhia, David Neeleman, três da Trip e outros três independentes. As aéreas preveem encerrar 2012 com 15 milhões de passageiros transportados no ano.

À princípio, fusão não muda nada entre aéreas

Mais rotas, mais voos, mais aeronaves, mais colaboradores. À princípio, o que aumenta é a oferta de assentos e destinos com a fusão das duas áreas Azul e Trip, que anunciaram a criação hoje (28/05) de uma holding controladora, a Azul Trip SA. “Até que a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) saia nos próximos meses – e as empresas se tornem  oficialmente uma, vamos operar individualmente”, diz David Neeleman, presidente do conselho administrativo da nova holding. Com a fusão, as companhias criam uma outra que assume o terceiro lugar na participação do transporte aéreo doméstico do país, com cerca de 15% do share.

Ainda com operações independentes, as aéreas partem para a unificação dos processos e devem respeitar os acordos individuas, como por exemplo, o code share fechado com a Tam. “Vamos manter nossos acordos comerciais. As grandes fusões de aéreas sempre preservaram os acordos mais importantes”, diz o presidente do comitê da holding, José Mario Caprioli. O executivo disse ainda que há poucas semanas, a Trip adquiriu os 26% negociados com a americana Skywest. “Compramos de volta. Hoje não há mais a opção de compra pela Tam e nem outa companhia detém ações da Trip. A companhia pertence as duas famílias que agora soma 34% das ações da holding”, comenta.

A estrutura manterá os colaboradores das duas empresas. “Vamos manter as esquipes e contratar ainda mais pessoal para operacionalizar a fusão. Neste momento não haverá demissões”, disse Neeleman. Na associação, a Trip terá três cadeiras e Azul quatro no conselho administrativo. As outras três serão de membros independentes.

Tam: Codeshare com Trip está mantido

A Tam não quis se pronunciar sobre a fusão entre Azul e Trip. Por meio de sua assessoria de imprensa, a companhia reiterou apenas que os voos que opera em codeshare com a Trip estão mantidos. Antes do anúncio da união das duas companhias aéreas, a Tam vinha costurando um amplo acordo com a Trip, que previa uma revisão nas rotas das duas companhias, além da possibilidade de compra da Trip por parte da Tam.

2 pensamentos sobre “Mais sobre a união Azul-Trip

    • Olá Maria. Pelo que foi informado pelos dirigentes de ambas as empresas, não haverão demissões em estágio inicial. No entanto, também não foi descartado que elas ocorram após um determinado tempo, que acredito não ser inferior a 6 meses. Obrigado pela visita! Abraços

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s