Novas regras evitarão danos por fadiga em aviões

Boeing 737-200 da Canadian North

A Federal Aviation Administration (FAA) publicou nova regra intitulada Dano Generalizado por Fadiga (DGF) destinada a proteger aviões comerciais de danos estruturais catastróficos que podem ocorrer na medida em que envelhecem.

O regulamento aplica-se aos aviões com peso máximo de decolagem igual ou superior a 75 mil libras – 34 mil kg – em operação e a projetos de aviões de categoria transporte a serem certificados.

A nova regra obriga fabricantes a fixar o número de ciclos ou de horas de voo que cada modelo de avião afetado pela regra pode operar livre de DGF, sem a necessidade de inspeções adicionais quanto à fadiga.

Os fabricantes têm entre 18 e 60 meses, dependendo do tipo de avião, para cumprir a determinação. Operadores têm entre 30 e 72 meses para incorporar tais limites em seus programas de manutenção.

Um DGF envolve um grande número de pequenas trincas não detectáveis em inspeção normal. Se consideradas isoladamente, trincas não causam preocupação; entretanto, existe risco de um grande número delas desenvolver-se e juntar-se as outras, comprometendo a integridade estrutural do avião.

Fonte: www.revistaflap.com.br

Anúncios

Notícias (11/08/2010)

 

Mexicana retoma voos para Madri e Londres

Depois de anunciar a suspensão de vários voos, em razão da concordata solicitada na semana passada, a Mexicana voltou atrás em algumas dessas decisões. Segundo o diretor da aérea no Brasil, Luis Augusto dos Santos, a empresa decidiu pela retomada dos voos para Londre e Madri, a partir da Cidade do México. “Essa medida foi anunciada apenas 24 horas depois do anúncio da suspensão dessas mesmas rotas, por conta das dificuldades de reacomodação encontradas pela empresa, em razão da alta temporada europeia”, explica Santos.

 

Infraero forma primeira turma em curso da FAA

Um grupo de 15 operadores de Navegação Aérea da Infraero concluiu, neste mês, o curso de graduação em “Aviation English”, realizado na Academia da Federal Aviation Administration (FAA)/Mike Monroney Aeronautical Center, em Oklahoma City, nos Estados Unidos. Essa foi a primeira turma do curso na academia da entidade governamental dos Estados Unidos, responsável pelos regulamentos da aviação civil norte-americana. O treinamento atende aos requisitos de proficiência de nível quatro, determinados pela OACI/ICAO.

 

470 oficinas certificadas pela ANAC

A ANAC está regularizando os serviços de manutenção, recuperação, conserto e troca de peças em aeronaves no Brasil. Para isso cada uma delas está sendo vistoriada e obtendo a certificação do órgão governamental. Hoje, para dar suporte à frota de 12 mil aeronaves registradas no país, estão homologadas 470 oficinas, relacionadas via Internet na site da Agência.

 

Alemanha começa a testar o Euro Hawk

A Alemanha iniciou os testes com a aeronave não tripulada “Euro Hawk”, que pretende encomendar em substituição aos aviões “Atlantic” usados pela Luftwaffe em missões de coleta de dados e inteligências aérea. O Euro Hawk é uma versão do Global Hawk block 20, dotado de novos sistemas desenvolvidos pela EADS.

 

Números da UPS

Boeing 757-200F da UPS

A UPS anunciou o lucro diluído por ação de US$ 0,84 para o segundo trimestre de 2010, um salto de 71% sobre o lucro do período do ano anterior. A receita global aumentou 13%, gerando um aumento de 57% no lucro operacional que foi de US$ 1,4 bilhão. Com base nas expectativas de aceleração contínua em todos os segmentos, a UPS aumentou sua orientação para o lucro ajustado de 2010 a um intervalo de US$ 3,35 a US$ 3,45 por ação diluída, um aumento de 45% para 50% em relação ao ano passado.

FAA rebaixa classificação de segurança do México

Embraer 190 da AeroMexico Connect

A FAA rebaixou a classificação de segurança aérea do México, o que efetivamente restringe as companhias aéreas do país a compartilhar voos com companhias dos EUA ou a expandir serviços entre os dois países, apesar de poder manter suas atuais operações.

A Delta Air Lines, por exemplo, poderá ser obrigada a tirar seu código DL em cerca de 140 voos diários operados por sua parceira na aliança SkyTeam, a AeroMexico. O mesmo pode acontecer com acordos entre a Mexicana e a American Airlines, do oneworld. E também com o primeiro acordo internacional de codeshare assinado entre a Southwest Airlines e a low-cost mexicana Volaris, ainda não implementado.

Segundo a FAA, o México não atingiu os padrões internacionais de segurança aérea estabelecidos pela ICAO – International Civil Aviation Organization e foi rebaixado da Categoria 1 para a Categoria 2. “Apesar do México ter sido cooperativo com a FAA e ter feito significativos progressos nos últimos meses, ele não foi capaz de atingir na totalidade os padrões internacionais de segurança”, diz a FAA.

Embora seja um processo que leva vários meses, a agência norte-americana disse “estar comprometida a trabalhar em conjunto com o governo do México e a prover assistência técnica para ajudar o país a retornar à Categoria 1”. A decisão da FAA criou embaraço políticos a um aliado dos EUA e recebeu imediata crítica do Ministério das Comunicações e Transportes do México. A última vez que a FAA rebaixou um país de categoria foi em 2008, com Israel. O website da agência reguladora ainda mantém Israel na Categoria 2. Outros países rebaixados no passado foram a Indonésia, a Croácia, a Ucrânia e as Filipinas.

Fonte: Jetsite

FAA acha rachaduras em aviões 767 da American Airlines

Boeing 767 da American

A Federal Aviation Authority (FAA), agência reguladora do setor aéreo nos Estados Unidos, encontrou rachaduras estruturais no corpo de três aeronaves modelo 767 da companhia aérea American Airlines fabricados pela Boeing. As fendas foram descobertas durante vistorias recentes, publicou o “Wall Street Journal”.

Rachaduras estruturais foram recentemente descobertas em pelo menos dois 767 da American Airlines, inclusive um jato que a FAA acredita ter perdido um motor, segundo o jornal.

Na segunda-feira, a FAA disse ter encontrado problemas em três aviões, de acordo com o jornal.

A FAA informou que está trabalhando com a American Airlines e a Boeing para identificar os motivos para o aparecimento das fendas e está considerando novos parâmetros de segurança mais abrangentes, afirmou o jornal.

“Estamos considerando medidas adicionais, incluindo exigência de inspeções mais frequentes” das peças suspeitas, chamadas de “engine pylons” (pilar da turbina), disse um porta-voz da FAA ao WSJ.

Um porta-voz da American Airlines, Tim Wagner, contestou a avaliação, segundo o jornal. “Qualquer especulação sobre a causa” das rachaduras “não é baseada em ciência ou averiguações técnicas”, disse Wagner ao jornal.

Representantes de FAA, Boeing e AMR Corp, controladora da American Airlines, não estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto.

Fonte: Reuters

Mais de mil jatos da Embraer passarão por inspeções nos EUA

Embraer 175 da Delta Conection (Foto: Airliners.net)

A Autoridade Federal de Aviação dos EUA (FAA) determinou que sejam feitas inspeções detalhadas em mais de mil aviões produzidos pela Embraer, depois de testes estruturais feitos pela empresa brasileira terem revelado rachaduras na fuselagem que poderiam ameaçar a segurança dos voos, informa o Wall Street Journal.

Em três diretrizes de segurança divulgadas nesta terça-feira, a FAA determinou que as empresas aéreas regionais norte-americanas que usam jatos Embraer dos modelos 135, 145, 170 e 190 tomem precauções especiais para assegurar a integridade estrutural das aeronaves. Essas diretrizes se seguem a orientações dadas anteriormente pelas autoridades brasileiras e por propostas anteriores feitas pela própria FAA.

Um porta-voz da FAA disse ontem que a Embraer e outros fabricantes de aviões fazem testes rotineiros e contínuos de fadiga de material, anos depois de as aeronaves entrarem em serviço, e que as últimas diretrizes refletem o que foi verificado nesses testes.

Testes no solo que simulam os estresses sofridos pelos aviões em decolagens, aterrissagens e outras manobras indicaram que em cercas circunstâncias podem acontecer danos em pontos específicos das aeronaves. Um porta-voz da FAA ressalvou, porém, que os testes são elaborados de modo que um avião em serviço sempre tem um número menor de decolagens e pousos menor do que o número máximo realizado nas simulações em solo. Tais testes são usados “para identificar mudanças necessárias para manter segurança operacional contínua”, acrescentou.

A FAA determinou inspeções mais frequentes nas partes das peças estruturais e da camada de alumínio localizadas perto dos parabrisas das cabines dos modelos 135 e 145. No caso dos modelos 170 e 190, mais novos, as inspeções vão focalizar outras áreas das aeronaves.

Segundo as diretrizes, “rachaduras causadas por fadiga e não detectadas nas áreas afetadas poderiam afetar adversamente a integridade estrutural desses aviões”. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Agência Estado

@Aidan: A repercução sobre o assunto nos EUA não foi nada boa para a Embraer.

Notícias (21/05/2010)

 

AeroMexico oferece novas formas de parcelamento

A Aeromexico anunciou o início de novas formas de parcelamento: nove vezes sem juros, com cartões Mastercard e Diners, e cinco vezes sem juros, com Visa e American Express. Os pagamentos são válidos para cartões emitidos no Brasil, para Pessoa Física, em todas as classes e tarifas públicas. Mais detalhes no site da Aeromexico exclusivo para agentes de viagens: www.agenciasaeromexico.com .

 

Tarom e Vietnam na SkyTeam 

Boeing 777 da Vietnam Airlines (Foto: Airliners.net)

A SkyTeam afirmou que a Vietnam Airlines e Tarom “estão a caminho de se tornarem membros em junho”, com a Vietnam Airlines entrando na aliança em 10 de junho e a Tarom em 25 de junho. As empresas componentes da aliança estão auxiliando duas novas parceiras nos mais de 100 itens requeridos para se tornar um membro.

 

JAL corta freqüencias para Bangkok 

A Japan Airlines irá reduzir seu serviço diário entre Bangkok e Osaka Kansai e Nagoya Chubu para quatro vezes por semana e três vezes por semana, respectivamente, durante o mês de junho. Segundo a empresa, os recentes levantes contra o governo em Bangkok resultaram em uma queda drástica do número de reservas para a cidade.

 

MA600 recebe certificado da FAA 

O novo turboélice chinês, MA600, uma versão melhorada do MA60, recebeu seu certificado de aeronavegabilidade da CAAC, essa semana. O MA600 é uma versão modernizada do MA60 (por sua vez, uma versão do Y-7 que, outra vez, é baseado no Antonov An-24), com uma estrutura melhorada e novos aviônicos, bem como um interior mais moderno. O primeiro MA600 será entregue no próximo mês, para a Universidade de Aviação Civil da China.

 

Qatar recebe primeiro 777F 

A Qatar Airways recebeu um Boeing 777 de carga, o primeiro de três encomendados em maio de 2006, para operar as rotas de carga entre a Europa e o Oriente Médio. O 777F da Qatar é o 23o entregue pela Boeing – 12 clientes encomendaram o avião, com um total de 73 aviões na carteira.

 

British Airways teve perda de 610 milhões de euros no seu ano fiscal 

A companhia britânica British Airways registou no seu exercício fiscal, finalizado no dia 31/03 perdas antes dos impostos de 531 milhões de libras (610 milhões de euros), o que representa um aumento de 32,4% diante dos números vermelhos registrados no ano passado e constituem as maiores perdas gerais da companhia nas últimas duas décadas, desde 1987, quando foi privatizada. 

 

Tap e Air China vão emitir bilhetes em conjunto a partir do Verão 

Boeing 747-400 da Air China (Foto: Airliners.net)

A Tap e a Air China vão começar a partir do próximo Verão a emitir em conjunto bilhetes para viagens entre a China e a Europa. O acordo de ‘code-share’, alcançado esta semana em Pequim, envolve quatro cidades europeias para onde a Tap voa e ainda Pequim e Xangai, servidas pela Air China. 

 

Mais passageiros no Peru

A Administração de Aviação Civil do Peru anunciou que em 2009 o número de passageiros que chegaram do exterior ao país cresceu 5,68% sobre o total de 2008. Foram 4.805.970 desembarques ao longo do ano, quando a maior parte dos estrangeiros que chegaram ao país vieram da Argentina.

 

Espaço França na Expo Aero Brasil

O Espaço França reunirá, esse ano 20, empresas francesas especializadas nos setores aeronáutico e espacial, com objetivos de estabelecer parcerias tecnológicas e comerciais com empresas brasileiras. Com uma área confortável para reuniões B2B, este espaço será um lugar privilegiado para estabelecer contatos e criar novos negócios com a indústria aeronáutica e espacial francesa. Maiores informações no tel (11) 3087 3107.

 

Cresce movimento no Chile

Aiac – Autoridade de Aviação Civil do Chile anunciou que no passado mês de janeiro o movimento de passageiros embarcados e desembarcados nos aeroportos do país aumentou 16,6% sobre o total do mesmo mês de 2009. No total foram registradas mais de 1 milhão de pessoas, sendo 51,5% de viagens domésticas e 48,5% de voos internacionais.

FAA certifica programas de treinamento e simulador do CJ4

 

A Federal Aviation Administration aprovou os programas de treinamento do mais novo avião da Cessna, o CJ4. Elaborados pela FlightSafety International, parceiro internacional da Cessna para treinamento em aeronaves, os programas foram desenhados levando em consideração as variáveis na configuração da aviônica do CJ4 e os diferentes níveis dos pilotos.

A FAA também certificou um simulador totalmente novo desenvolvido especialmente para o CJ4. Totalmente móvel, o simulador do CJ4 possui uma base de movimentação elétrica que proporciona a mesma performance, gerando menos calor e ruído, além de exigir menos manutenção.

“Todas as etapas da certificação estão sendo cumpridas, o que é muito bom para mantermos o cronograma da aeronave, que deve começar a ser entregue no mercado americano ainda este ano”, comemora Leonardo Fiuza, Diretor Comercial da TAM Aviação Executiva, há quase 30 anos representante da Cessna no Brasil. As certificações EASA (European Aviation Safety Agency) para os programas de treinamento e para o simulador seguem dentro do esperado e deverão sair em junho.

Maior aeronave da família CJ com capacidade para oito/nove passageiros, o CJ4 vai custar cerca de US$ 9 milhões e deve chegar ao mercado brasileiro em 2011. Capaz de decolar com 6,3 toneladas de uma pista com 950 metros, o CJ4 atinge os 45 mil pés de altitude em 28 minutos. Suas duas turbinas Williams FJ-44A são capazes de levar o avião a uma velocidade cruzeiro de aproximadamente 850 km/h, com um alcance de 2.000 milhas náuticas (mais de 3700 km). O CJ4 é dotado dos mais modernos sistemas de aviônicos, além de apresentar um grande conforto interno, com monitores individuais HD que exibem mapas do voo, passam filmes em Blue Ray e dispõem de rádio XM.

Fonte: Aviação Brasil