Moradores protestam contra helicópteros no Rio

 

Moradores dos bairros Lagoa, Botafogo, Humaitá, Jardim Botânico, Gávea, Leblon, Ipanema e Copacabana vão realizar uma manifestação no domingo, dia 06 de maio, contra a grande movimentação de helicópteros de forma desordenada na região.

Com apoio de 19 associações de moradores da cidade, o movimento “Rio Livre de Helicópteros sem Lei” reúne 3.000 assinaturas no abaixo-assinado, que será enviado para a Prefeitura, Secretaria de Meio Ambiente, Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e Departamento de Controle do Espaço Aérero (DECEA).

O objetivo é que sejam adotados novos procedimentos para pouso e decolagem no heliporto estadual da Lagoa, aumentando a altitude dos sobrevoos e evitando rotas que passem sobre áreas residenciais. Nos últimos anos, dobrou o número de helicópteros sobrevoando a região.

Fonte: Agência Estado

Eurocopter voa com o primeiro helicóptero com motor híbrido

Eurocopter AS350

A Eurocopter testou com sucesso um helicóptero híbrido que combina um motor de combustão interna com um motor elétrico sendo a primeira vez que um helicóptero voa no mundo com esse tipo de motor, definindo um novo marco no seu roteiro de inovação que abre o caminho para outras melhorias na segurança de aeronaves de asa rotativa.

Para este avanço inicial na exploração do conceito híbrido, a Eurocopter está usando um sistema complementar elétrico para aumentar a capacidade de manobra de um helicóptero monomotor durante um pouso em auto-rotação – que é realizada por helicópteros no caso de uma falha no motor principal.

O helicóptero demonstrador é uma versão de produção do modelo leve de grande sucesso Eurocopter AS350 monomotor, que foi equipado com um motor elétrico adicional. No caso de uma falha de motor, o motor elétrico fornece energia para o rotor, permitindo que um piloto possa controlar o helicóptero com muita facilidade durante a descida para um pouso seguro. O próximo passo é trazer este conceito para a maturidade e avaliar a sua implementação em helicópteros de produção em série da Eurocopter.

O demonstrador AS350 híbrido tem um altamente compacto motor elétrico e uma bateria de polímero de íon de lítio instalado na área central do helicóptero. Controles eletrônicos permitem a geração precisa da potência fornecida pelo motor elétrico durante o período de auto-rotação.

Fonte: http://cavok.com.br/blog/?p=39920

Anac vai autorizar exploração comercial de heliportos

 

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vai autorizar a exploração comercial de heliportos à iniciativa privada. Hoje ainda não existe uma norma que verse sobre esse tipo de atividade. Os detentores de helipontos, por exemplo, só podem utilizá-los para o recebimento de aeronaves próprias, não sendo permitida a locação para uso de terceiros.

O Estado de São Paulo tem hoje 494 helipontos, dos quais 210 estão na capital. Do total, apenas três são de uso público, apontam dados da Anac. Os demais são privados. Apesar da restrição à exploração comercial dessas estruturas, muitos proprietários as alugam para terceiros, o que é ilegal.

“O número de helicópteros em São Paulo já ultrapassou o de Nova York, então é preciso um sistema de exploração comercial para dar vazão a isso”, afirmou o assessor técnico da diretoria da Anac Dorieldo Luiz dos Prazeres. Ele afirma que o transporte por helicóptero não está mais restrito ao transporte de executivos, estando agora ligado a uma gama de outras atividades como transporte aeromédico, transporte de valores para bancos e voos panorâmicos para turistas.

A intenção da agência reguladora é que essas autorizações tenham duração de 25 anos, podendo ser renovadas. Caso o heliporto autorizado deseje interromper as operações, a agência quer ser notificada com antecedência de 180 dias. Isso daria maior segurança aos usuários quanto à regularidade do serviço. O regime de preços seria livre. A norma ainda deve passar por uma audiência pública.

Entre os pré-requisitos para obter as autorizações estão a exigência de licença prévia, comprovação de propriedade ou de concessão da área que será utilizada como heliporto e estar em dia com as obrigações fiscais e previdenciárias. A autorização também dependerá de aprovação do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e a estrutura deve ser certificada pela Anac.

Fonte: Agência Estado

Aeroporto de Cumbica terá novo heliporto

 

O Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, terá um novo heliporto. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) abriu licitação para contratar a empresa que vai elaborar o projeto e quer a obra pronta em um ano. O local já foi definido: será no “Setor 1” do aeroporto, antes do Terminal de Cargas, próximo à base da Força Aérea Brasileira e da “área dos hotéis” (onde hoje há apenas um hotel).

Para a Infraero, a mudança é urgente: o terreno atual do heliporto, de 22.470 metros quadrados, precisa ser desapropriado para a construção do terceiro terminal de passageiros, que tem custo estimado em R$ 700 milhões e será concedido à iniciativa privada. O Terminal 3 não deve ficar pronto antes da Copa de 2014 e um “puxadinho” – módulo provisório para receber passageiros – fará as vezes de terminal enquanto o definitivo não sai.

Projeto antigo

O novo heliporto é um projeto antigo da Infraero, que, segundo pilotos, pelo menos desde 2006 aguardava uma grande reforma estrutural em Cumbica para sair do papel. O grande problema do atual terreno é que, para fazer a aterrissagem, os helicópteros têm de atravessar as pistas de pouso do aeroporto, dividindo o espaço aéreo com os aviões.

“Do jeito que é hoje, precisamos das duas pistas livres de pouso ou decolagem de aviões para poder atravessar. Isso implica mais tempo de voo e mais gasto para o passageiro”, explica o presidente da Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero (Abraphe), comandante Rodrigo Duarte. Uma hora no ar a bordo de um helicóptero pode custar entre R$ 650 e R$ 18 mil, dependendo do tamanho da aeronave.

Se comparado a “hubs” de helicópteros como o Campo de Marte, na zona norte, e Congonhas, na zona sul de São Paulo, Cumbica ainda tem um movimento pequeno, mas que está crescendo ano a ano. O diferencial em relação aos outros dois é o tipo de passageiro de helicóptero que recebe.

“Lá não tem hangar, mas é um ponto muito importante para os passageiros do próprio aeroporto que precisam fugir do trânsito da Via Dutra ou da Marginal do Tietê. É ponto de chegada e saída da cidade e precisa de um heliporto mais expressivo”, explica o vice-presidente da Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag), Ricardo Nogueira.

Particulares

Segundo a Infraero, os helicópteros particulares são responsáveis por 74,7% do movimento de Cumbica, ante 23,7% de táxi aéreo e 1,6% de uso militar. A empresa ainda não confirma o tamanho do novo heliporto e aguarda a conclusão do projeto executivo para apresentar um orçamento da obra.

Fonte: Agência Estado

Bell lança primeiro modelo equipado com painel Garmin G1000H

Bell 407

A fabricante americana de helicópteros anunciou o lançamento do novo modelo Bell 407GX equipado com painel Garmin G1000H. Este é o primeiro helicóptero que oferece aos pilotos um painel digital com as mesmas características daqueles disponíveis em jatos de grande porte.

O aparelho possui duas telas de LCD de 10.4” de alta resolução, que combinam instrumentos de voo, navegação e turbina. Nesse painel é possível ter uma visão real do terreno na tela (Synthetic Vision Technology), operar um sistema digital de representação de rotas (Highway in the Skies), ouvir alertas de colisão e armazenar os dados da rota, turbina e desempenho em um cartão de memória para verificar se houve algum parâmetro excedido no equipamento durante alguma manobra.

Além de toda a tecnologia do novo painel, o Bell 407GX possui o coletivo acoplado com a manete de potência e uma excelente manobrabilidade, baixa vibração e ruído, devido ao seu rotor de quatro pás feito em material composto. Outra característica é a sua excelente carga útil, pois possui capacidade para decolar com número total de passageiros, carga total de bagagens e combustível.

Os primeiros aparelhos do tipo deverão chegar ao Brasil até o final de 2011. A empresa é representada no Brasil pela TAM aviação executiva. 23/03/11

Fonte: www.revistaflap.com.br

Eurocopter fabricará helicópteros no Cazaquistão

 

A Eurocopter informou hoje que chegou num acordo com a Kazakhstan Engineering para criar uma joint venture 50/50 para montar e customizar helicópteros EC145 no Cazaquistão. O acordo também inclui o desenvolvimento de unidades locais de manutenção e treinamento para apoiar as operações do EC145 através de uma nova zona de livre comércio criada no trimestre passado pelas nações do Kazaquistão, Rússia e Bielorrússia e toda região da Ásia Central.

A nova companhia será oficialmente estabelecida até dezembro e o primeiro EC145 produzido localmente, que será conhecido como KH145, será produzido “até o final de 2011”.

Adicionalmente a nova joint venture, a Eurocopter confirmou a venda de 45 helicópteros KH145s para o Ministério de Defesa do Cazaquistão que serão entregues nos próximos seis anos. Os primeiros seis helicópteros serão produzidos na França, com o restante do pedido sendo fabricado localmente.

Fonte: CAVOK

CH-47 Chinook da Austrália retorna para casa

CH-47D Chinook

Depois de voar mais de 737 horas e transportar mais de 691 toneladas de cargas durante oito meses em que estiveram no Afeganistão, o Grupo de Asas Rotativas da Força Aérea da Austrália está retornando para a casa. Agora é tempo de descansos para a equipe e do início de longas inspeções de manutenção nos dois CH-47 Chinook.

Equipados com dois helicópteros, o grupo executou ao longo desses oito meses 860 surtidas operacionais e transportou mais de 4.700 soldados, em atendimento a International Stabilisation Assistance Force (ISAF, força internacional de assistência e estabilização).

O retorno para a casa foi feito por dois Boeing C-17 Globemaster III da força aérea da Austrália. O Grupo vai voltar para o Afeganistão nos primeiros dias de 2011.

Fonte: Revista Asas