Pantanal reformula malha e passa a operar Airbus

Pantanal usará aeronaves da TAM (Foto: Airliners.net)

A gestão TAM na Pantanal começa a produzir efeitos. A partir de 1º de agosto a companhia apresentará sua nova malha e com novidades, que é o uso dos Airbus A319 e A320 da TAM em suas principais rotas.

Da malha atual as cidades de Araçatuba, Juiz de Fora, Marília e Maringá deixam de receber os voos da companhia. Por outro lado as cidades de Belo Horizonte (Confins), Brasília, Cuiabá, Curitiba, Joinvile, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro (Galeão), Salvador, São José do Rio Preto e Uberãndia passam a integrar a nova malha da empresa.

O uso massivo do Airbus é uma clara estratégia da TAM de gerar uma maior participação de mercado à Pantanal e assegurar os slots que estavam inutilizados em Congonhas.

Em abril de 2010 a Pantanal registrou 4,17% de market-share entre as companhias regionais, atrás da Trip com 69,63% e da Passaredo com 17,99%. Foram 9.810 assentos disponibilizados por semana ao mercado com 61,13% de aproveitamento. Em agosto serão 27.036 assentos ofertados por semana, o que será suficiente para encostar na oferta de assentos atual da Passaredo.

As novas rotas serão: São José do Rio Preto – Brasília e Brasília – Uberlândia, com ATR 42. Congonhas – Bauru, Congonhas – Joinvile e Congonhas – Presidente Prudente com Airbus A319. Congonhas – Brasília, Congonhas – Belo Horizonte (Confins), Congonhas – Curitiba, Congonhas – Cuiabá, Congonhas – Galeão – Salvador, Congonhas – Porto Alegre e Brasília – Recife com Airbus A320.

Fonte: Aviação Brasil

Anúncios

A380 na ponte aérea Paris-Londres

A380 da Air France (Foto: Airliners.net)

A Air France está prestes a colocar o gigante A380 em uma rota, no mínimo, diferente da planejada para o avião: Paris-Londres. Isso mesmo, um A380 na ponte aérea entre as duas capitais. A programação de verão da empresa mostra que o serviço diário AF995, entre Paris e Johannesburg, chega no aeroporto francês às 6h05, mas só decola às 23h20. Isso significa que o avião, com capacidade para 538 passageiros, ficaria parado em Paris por mais de 18 horas; a Air France acredita que poderá aproveitar a aeronave oferecendo um serviço de alta capacidade para Londres.

A empresa afirmou que o voo, designado AF1980/1981 será operado entre 12 de junho e 30 de agosto. A decolagem de Paris será às 10h05 e a volta pousará na capital francesa às 15h05, a tempo suficiente para a preparação do voo long-haul.

Fonte: jetsite

United e Continental: Redes complementares podem ajudar na aprovação

Boeing 757 da Continental (Foto: Airliners.net)

A fusão de US$ 3 bilhões da United Airlines, da UAL Corp., com a Continental Airlines Inc. deve incorrer em US$ 1,2 bilhão em custos não recorrentes da transação ao longo de três anos, desde que o negócio seja aprovado pelas autoridades, informaram as empresas ontem.

A empresa resultante, a ser chamada United Continental Holdings Inc., deve ser a maior do mundo em tráfego, com um valor de mercado de US$ 8,3 bilhões pelas cotações atuais.

Os presidentes executivos das empresas disseram ontem que a aérea resultante vai obter pelo menos US$ 1 bilhão por ano em reduções de custos e um grande aumento incremental de receita até 2013, em relação à receita combinada de US$ 29 bilhões no ano passado. O ganho de US$ 1 bilhão não inclui a receita significativa que as empresas recebem de suas relações atuais dentro da Star Alliance, a aliança de companhias da qual a TAM vai fazer parte nas próximas semanas.

Jeff Smisek, o diretor-presidente da Continental, que deve manter o cargo na empresa resultante da fusão, disse que o acordo “é profundamente pró-concorrência” e “deve ser facilmente aprovado sob uma perspectiva antitruste”. As partes esperam superar esse obstáculo e concluir a fusão no fim do ano, depois de buscar a aprovação dos acionistas em setembro.

Os sinais de Washington ontem não eram tão otimistas. O Departamento de Justiça do governo americano confirmou estar examinando a transação. O senador Herb Kohl, que preside o comitê antitruste do Comitê Judiciário do Senado, disse que a fusão afetará as opções de viagem de milhões de pessoas e seu subcomitê deve realizar uma audiência “para avaliar se esta fusão levará a preços mais altos e serviço de menor qualidade”.

Muitos acreditam que a fusão permitirá às empresas cortar capacidade — o número de assentos disponíveis —, o que poderia dar a toda a indústria alguma margem para aumentar as tarifas. Smisek e o diretor-presidente da UAL, Glenn Tilton, não falaram de seus planos para capacidade. Mas Smisek disse que os custos mais baixos da empresa resultante devem ajudá-la a “ser atraente para os passageiros de lazer”, que dão mais valor a descontos.

Smisek, de 55 anos, e Tilton, de 62, que deve presidir o conselho, disseram que o negócio é competitivo porque as redes de rotas das aéreas são complementares, sem redundâncias internacionais e com poucas domésticas.

Fonte: Susan Carey / The Wall Street Journal

Notícias (03/05/2010)

 

Jazz Air encomenda 15 Bombardier Q400 NextGen

A Bombardier Aerospace anunciou uma encomenda da Jazz Air LP (“Jazz”) de Halifax, Canadá, de 15 Bombardier Q400 NextGen e opções para outras 15 aeronaves.

O valor do negócio é da ordem de US$ 454 milhões de dolares, podendo chegar a US$937 milhões com as opções de compra. A aeronave de 74 assentos é um dos fortes concorrentes do ATR 72-500.

 

Turkish Airlines troca Airbus A340 pelo Boeing 777 na rota de São Paulo

Airbus A340-300 da Turkish (Foto: Airliners.net)

A partir de 23 de maio os voos da Turkish Airlines, provenientes de Istanbul, serão operados pelos modernos Boeing 777-300ER, no lugar dos Airbus A340-300. Não haverá, a princípio, alterações nos horários de partidas e chegadas deste voo.

 

NHT em Congonhas

Começou a operar no Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, a companhia regional gaúcha NHT, que opera agora a linha Campinas-São Paulo-Curitiba com voos diários, de segunda a sexta feira. A companhia, que mantém acordo de cooperação operacional com a TAM, utiliza nessa linha bimotores checos Let 410 UVP. Em 2009 ela transportou 51.595 passageiros.

 

Hawker no Mesa Airport

A Hawker Beechcraft inaugurou sua nova instalação de serviços no Phoenix-Mesa Gateway Airport, de Mesa, no Arisona (EUA). O projeto envolveu investimento de US$ 14 milhões e inclui hangar, oficinas, depósitos e escritórios.

 

Embraer na EBACE

A Embraer participará, de 4 a 6 de maio, da décima Convenção e Mostra de Aviação Executiva Européia (European Business Aviation Convention and Exhibition EBACE), a ser realizada no Centro de Exposições Genebra Palexpo, na Suíça. A empresa promoverá a linha completa de jatos executivos na exposição estática, onde serão exibidos o Phenom 100, Phenom 300, Legacy 600 e Lineage 1000. A Embraer ocupará o estande número 7040, localizado no Hall 7.

 

França encomenda helicópteros

A DGA – Agência Francesa de Compra de Material Bélico, confirmou a compra de dois helicópteros Eurocopter EC 225 para a Aviação Naval do país. Os dois aparelhos destinam-se á substituição de dois antigos AS 321G “Supere Frelon” que serão em breve retirados de uso. Um dos novos helicópteros foi entregue pelo fabricante em março passado e o segundo será entregue em junho.

 

México negocia C-295

CASA C-295 (Foto: Airliners.net)

A Força Aérea Mexicana negociou a compra de cinco cargueiros militares C-295, para substituir seus antigos Antonov An-32B, adquiridos em 2000. As novas aeronaves, fabricadas na Espanha pela EADS CASA, foram negociados num contrato de US$ 110 milhões que além dos aviões inclui também peças de reposição e treinamento dos tripulantes e mecânicos.

 

US Navy aposenta Sea King

A Aviação Naval dos Estados Unidos (US Navy) encerrou o uso de seus helicópteros “Sea King”. Dois exemplares remanescentes serão reformados e entregues ao Peru e outro será destinado ao uso como aeronave experimental. Essa desativação encerra uma carreira de 50 anos desse tipo de helicóptero pela Marinha dos Estados Unidos, que os empregou principalmente em missões de busca e salvamento.

 

Pronto o último 747 LCF

A Boeing colocou recentemente em operação último exemplar encomendado do cargueiro B.747 LCF, versão especial modificada do B.747 normal. Esse tipo de aparelho foi aperfeiçoado para transportar por via aérea grandes seções e peças dos novos jatos B.787, componentes que pelas dimensões não poderiam ser transportados em outros aviões cargueiros. Cinco exemplares do gigante foram adaptados à nova versão pela firma Evergreen Aviation Technologies, em Taipé – Formosa. Nos próximos nove anos essa frota será operada comercialmente pela empresa Atlas Air, em apoio à produção da Boeing.

Lufthansa com A380 para Narita e Pequim

(Foto: Airliners.net)

A Lufthansa planeja operar seu primeiro A380 em voos para Narita e Pequim. A empresa membro da Star Alliance, pretende operar o avião entre Frankfurt e Tóquio três vezes por semana, a partir de 11 de junho. A partir de 26 de agosto deve ser iniciado o mesmo número de frequências entre Pequim. A terceira rota deverá ser Johannesburg.

O A380 irá substituir parte dos Boeing 747 nos voos diários entre Narita e Pequim. Os serviços deverão se tornar diários quando o terceiro e quarto aviões entrarem em serviço, ao final do ano.

Os A380 da Lufthansa terão 526 assentos, em três classes: oito na primeira, 98 na executiva e (incríveis) 420 na econômica.

Fonte: Jetsite

United Airlines amplia serviços internos nos EUA

Embraer EMB-120 Brasilia da United Express (Foto: Airliners.net)

A United Airlines vai operar a partir de (9/06)  mais um voo diário sem escalas entre o aeroporto O’Hare, em Chicago, e o La Guardia, em Nova York. O novo voo, operado por um avião Airbus A319 de 120 lugares, sairá de Chicago às 8h30 e chegará a Nova York às 11h42. Na volta, partirá de Nova York às 12h30 e pousará em Chicago às 14h04.

A partir de (24/04), os três voos operados pela United Express entre Chicago e o aeroporto La Guardia serão substituídos por aviões da própria United Airlines. Com isso, a United passará a ter até 18 voos diários entre os dois aeroportos.

Também no dia (24/04), começarão voos sem escalas entre Houston e Los Angeles, operados pela SkyWest, parceira do sistema United Express, com aviões CRJ de 66 lugares. Os voos sairão de Los Angeles às 11h40, chegando a Houston às 16h53, e de Houston às 17h40, chegando a Los Angeles às 19h15. 

Fonte: Mercado e Eventos

Icelandair retorna a sua base de operações para a Islândia

Boeing 757-200F da Icelandair Cargo (Foto: Airliners.net)

A companhia Icelandair está retornando nesta quarta-feira a sua base de operações para a cidade de Reykjavik, na Islândia, com a reabertura do aeroporto local após seu fechamento por cinco dias, informou a ATI.

Ao contrário do que aconteceu com o restante da Europa, que teve seu espaço aéreo e aeroportos reabertos no dia 22 deste mês, o aeroporto Keflavik, localizado na referida cidade islandesa, foi fechado naquele dia.

Isso porque a nuvem de cinzas vulcânicas que originalmente se deslocou da Islândia rumo à porção continental da Europa, ao começar a se dissipar também mudou sua direção de deslocamento, rumando para o Oceano Atlântico e de volta ao país nórdico.

Keflavik, que não havia sido afetado entre os dias 16 e 21 de Abril, na contramão do que aconteceu com o restante do continente, teve então que ficar fechado entre os dias 22 e 27, retomando hoje suas operações normais.

Para evitar maiores danos à sua malha, a Icelandair optou por uma atitude nada comum: um plano de contingência que mudou sua base para outro país.

As operações da empresa durante os últimos cinco dias passaram então a ser realizadas a partir de Glasgow, na Escócia, com os passageiros que embarcariam no aeroporto Keflavik sendo transportados de ônibus para Akureyri, cidade islandesa a 280 km ao norte de Reykjavik e que não havia sido afetada.

A partir de lá os viajantes embarcavam em uma ponte aérea rumo a Glasgow, especialmente criada com a função de levá-los à base temporária, de onde partiam para os seus destinos originalmente previstos.

Segundo o CEO da Icelandair, Birkir Holme Gudnason, a mudança de toda a malha para a Escócia demorou 12 horas e permitiu que, mesmo tendo sua base na Islândia fechada, a companhia aérea operasse entre 75% e 80% de seus voos pelo tempo em que esteve hospedada no Reino Unido.

Fonte: Portal CR