Demanda de aéreo doméstico cresce 6,2% em agosto

A demanda do transporte aéreo doméstico de passageiros (passageiros-quilômetros pagos transportados – RPK*) cresceu 6,72% em agosto, em relação ao mesmo mês do ano passado. Já a oferta (assentos-quilômetros oferecidos – ASK**), aumentou 0,6% no mesmo período. O resultado da oferta interrompe a série de crescimento superior a 10% para o mês de agosto, verificada nos cinco anos imediatamente anteriores (13,44%, 19,22%, 19,69% e 10,10% e 21,86% em agosto/2011, 2010, 2009, 2008 e 2007, respectivamente).

A demanda acumulada janeiro a agosto cresceu 7,26%, em relação ao mesmo período de 2011. A oferta subiu 6,51%. No mercado do transporte aéreo internacional de passageiros, a demanda das empresas aéreas brasileiras teve redução de 2,65% em agosto de 2012, comparada ao mesmo mês de 2011. A oferta registrou queda de 3,77% no mesmo período. No acumulado de janeiro a agosto de 2012, houve crescimento da demanda em 0,18%, enquanto a oferta registrou redução de 2,05% quando comparada com o mesmo período de 2011.

Entre as seis empresas que apresentaram participação no mercado doméstico superior a 1% (em RPK), Avianca e Trip destacaram-se com as maiores taxas de crescimento da demanda em agosto de 2012 quando comparadas com o mesmo mês de 2011, da ordem de 53,12% e 45,77%, respectivamente. O Grupo Tam, que reúne as operações das empresas Tam Linhas Aéreas e Pantanal Linhas Aéreas,  teve crescimento de 12,58% na demanda doméstica de agosto de 2012, quando comparado com o mesmo mês do ano anterior, e redução de 2,02% na demanda internacional. No mesmo período, a empresa aérea Gol registrou redução de 6,32% na demanda doméstica e ampliação de 4,60% na demanda internacional.

Market Share

A participação no mercado doméstico das empresas de menor porte cresceu 11,7% em agosto de 2012.  Com esse aumento o market share dessas empresas passou de 22,7% em agosto de 2011 para 25,3% no mesmo período deste ano. Entre as 6 empresas que apresentaram participação no mercado doméstico superior a 1% (passageiros-quilômetros pagos transportados – RPK), Avianca e Trip registraram o maior crescimento na participação de mercado em agosto de 2012 quando comparada com o mesmo mês de 2011, tendo passado de 3,56% para 5,10% (crescimento de 43,47%) e de 3,43% para 4,69% (crescimento de 36,58%), respectivamente.

Grupo Tam e Gol lideraram o mercado doméstico em agosto de 2012 com participação (em RPK) de 40,55% e de 34,14%, respectivamente. O Grupo Tam aumentou sua participação de mercado em 5,5% no comparativo de agosto de 2012 e agosto de 2011, tendo passado de 38,45% para 40,55%. Já a Gol teve reduzida em 12,2% a sua participação no mesmo período, tendo passado de 38,89% para 34,14%. No acumulado do período de janeiro a agosto de 2012, a participação das líderes alcançou 74%, sendo 40,08% para o Grupo Tam e 33,93% para a Gol.

Os líderes do mercado doméstico, Tam e Gol, representaram a totalidade das operações de empresas brasileiras no transporte aéreo internacional de passageiros em agosto de 2012. O Grupo Tam, com 89,83%, e Gol, com 10,17%. O Grupo Tam registrou um aumento de 0,65% na sua participação no mercado internacional de agosto de 2012 em relação ao mesmo mês de 2011. Já a participação da Gol apresentou crescimento 7,45% no mesmo período.

Taxa de Ocupação

A taxa de ocupação dos voos domésticos de passageiros (RPK/ASK) alcançou 72,83% em agosto de 2012, contra 68,65% no mesmo mês de 2011, o que representou uma recuperação de 6,09%. No período de janeiro a agosto de 2012, a taxa manteve-se praticamente estável se comparada ao mesmo período de 2011, passando de 71,08% em 2011 para 71,58% em 2012.

Nos voos internacionais de passageiros operados por empresas brasileiras (RPK/ASK), a taxa de ocupação alcançou 79,03% em agosto de 2012, contra 78,12% do mesmo mês de 2011, representando uma variação positiva de 1,17%. O melhor aproveitamento em agosto de 2012 foi alcançado pelo Grupo Tam, com 81,36%, enquanto que o desempenho da GOL foi de 63,06%.

Entre as seis empresas que apresentaram participação no mercado doméstico superior a 1% (em RPK), as maiores taxas de ocupação em agosto de 2012 foram alcançadas por Azul e Avianca, com 75,14% e 74,57%, respectivamente.

Fonte: http://www.mercadoeeventos.com.br

Anúncios

Grupo LATAM Airlines divulga estatísticas operacionais de junho de 2012

Airbus A320 da LAN

O Grupo LATAM Airlines S.A. e suas filiais (“Grupo LATAM Airlines” ou “a Companhia”) (NYSE: LFL / IPSA: LAN / Bovespa: LATM11), uma das companhias aéreas líderes da América Latina em transporte de passageiros e carga, informa as estatísticas preliminares de tráfego para junho de 2012, incluindo o comparativo com junho de 2011.

O tráfego de passageiros aumentou 11,5%, enquanto a capacidade foi incrementada em 6%. Como resultado, o load factor da Companhia para o mês aumentou 3,8 pontos percentuais, alcançando 77,8%. O tráfego internacional de passageiros representou aproximadamente 52,5% do tráfego total de passageiros para o mês.

O tráfego doméstico de passageiros na operação da Companhia em países de língua espanhola (Argentina, Chile, Peru, Equador e Colômbia) aumentou 25,6%, enquanto a capacidade cresceu 23%. Como consequência, a taxa de ocupação doméstica aumentou 1,6 pontos percentuais, chegando a 76,1%.

O tráfego do mercado doméstico no Brasil cresceu 10,9%, enquanto a capacidade subiu 2,5%. Como resultado, o load factor doméstico no Brasil aumentou 5,4 pontos percentuais, atingindo 72%.

O tráfego internacional de passageiros registrou um aumento de 9%, e a capacidade teve um incremento de 4,9%. Como resultado, a taxa de ocupação internacional de passageiros para o mês cresceu 3,1 pontos percentuais ao alcançar 82,5%. O tráfego internacional inclui as operações internacionais de LAN e TAM nas rotas entre países da América do Sul e de longo alcance.

O tráfego de carga da LAN cresceu 1,3% e a capacidade 0,3%. Como consequência, o load factor aumentou 0,7 pontos percentuais, registrando 69,5%. Esse resultado se deve a uma maior disponibilidade para transporte de cargas nas aeronaves de passageiros. O crescimento do tráfego foi motivado por uma maior demanda de matérias-primas da América do Sul, parcialmente compensado por uma menor importação na América Latina.

Sobre o Grupo LATAM Airlines

LATAM Airlines Group S.A. é a nova denominação da LAN Airlines S.A., resultado da sua associação com a TAM S.A. O LATAM Airlines Group S.A. agora inclui a LAN Airlines e suas filiais no Peru, Argentina, Colômbia e Equador, e LAN CARGO e suas filiais; bem como a TAM S.A. e suas filiais TAM Linhas Aéreas S.A., incluindo suas unidades de negócios, TAM Transportes Aéreos del Mercosur S.A. (TAM Airlines), do Paraguai e Multiplus S.A.

Esta associação gera um dos maiores grupos de companhias aéreas do mundo em malha aérea, oferecendo serviços de transporte de passageiros para cerca de 150 destinos, em 22 países, e serviços de carga para aproximadamente 169 destinos, em 27 países, com uma frota de 312 aviões. No total, o LATAM Airlines Group S.A. tem mais de 51 mil funcionários e suas ações são negociadas nas bolsas de Santiago, Nova York (na forma de ADRS) e São Paulo (na forma de BDRs).

Cada companhia aérea opera independentemente, mantendo suas respectivas identidades e marcas. Qualquer consulta deve ser feita em www.lan.com  e www.tam.com.br , respectivamente. Mais informações em http://www.latamairlinesgroup.net.

Fonte: http://www.aviacaonoticias.com/

Do Rio para Orlando, sem escalas, pela TAM

Airbus A330 da TAM

A TAM se prepara para lançar uma rota ligando o Rio a Orlando, sem escalas. Até dezembro, a brasileira também transformará Rio-Nova York (hoje operada seis vezes por semana), Rio-Paris (hoje cinco vezes por semana) e Rio-Frankfurtem rotas trafegadas diariamente por seus Airbus A330-200.

Ainda tem mais: de olho no crescente mercado, a companhia avalia usar o Airbus A330-200 também na ponte aérea Rio-Miami, hoje operada pelo Boeing 767-300ER. Seria uma forma de ter um produto superior à American Airlines, que passará a realizara rota Rio-Miami duas vezes por dia a partir de dezembro.

Para completar o upgrade, a voadora brasileira vai adicionar um terceiro voo diário na rota Rio-Buenos Aires a partir do mês que vem. Tal frequência vai substituirá que era operada pela subsidiária TAM Mercosul.

Fonte: www.jetsite.com.br

Latam já é vice-líder do setor em lista global de valor de mercado

 

TAM | Airbus A330-200 @ SBGR

A Latam, fusão entre a chilena LAN Airlines e a brasileira TAM Linhas Aéreas, já é o segundo maior grupo do setor no mundo em valor de mercado, atrás apenas da Air China. A constatação é de um levantamento da consultoria Bain & Company. Por essa análise, feita em janeiro deste ano, a Latam valia € 8,4 bilhões e a Air China € 9,1 bilhões.

O estudo mostra a evolução do ranking dos 20 maiores grupos aéreos do mundo, de janeiro de 1999 a janeiro de 2012. Nesse intervalo, houve uma inversão do perfil do setor. Em apenas 12 anos, a aviação mundial deixou de ser liderada pelo “velho mundo” (empresas americanas e europeias), para ser dominada, agora, por companhias de países emergentes.

“Houve uma renovação do ranking, com o desenvolvimento das empresas de países emergentes”, afirma o especialista em aviação da consultoria, André Castellini. De acordo com ele, contribuiu para o atual panorama da aviação mundial o fato de muitas empresas terem quebrado e a onda de consolidação, nos últimos 12 anos.

Em 1999, entre as 20 maiores, estavam oito empresas americanas e seis europeias. Entre as 10 maiores por valor de mercado eram cinco dos Estados Unidos e três da Europa.

Seis anos depois, em 2005, três empresas entraram em concordata (United, US Airways e Swiss) e duas foram alvo de consolidação – a Comair, dos Estados Unidos foi comprada pela também americana Delta e a holandesa KLM foi adquirida pela Air France).

“Essa análise comprova a volatilidade do setor e as dificuldades em se ganhar dinheiro na aviação”, diz Castellini. No cenário de janeiro de 2012, o especialista enfatiza a maior mudança de perfil. Entre as 20 maiores empresas aéreas do mundo, mais duas pediram concordata (American Airlines e Japan Airlines) e nove estiveram envolvidas em processos de aquisições ou fusões nos últimos anos. Além dos negócios entre Comair e Delta, e Air France e KLM, as americanas United e Continental se uniram, assim como as europeias British Airways e Iberia. A Swiss foi adquirida pela alemã Lufthansa e a NWA se juntou à Delta.

“O levantamento mostra que algumas empresas sumiram, outras reapareceram com acionistas diferentes. Isso comprova como é difícil manter a rentabilidade no setor aéreo no longo prazo”, acrescenta Castellini.

Com isso, metade do ranking passou a ser integrado por empresas que ainda não haviam entrado na lista. O destaque fica para as empresas aéreas de países emergentes, com oito empresas da Ásia e do Oriente Médio e duas da América Latina. Só restaram três americanas e duas europeias.

Entre os cinco maiores grupos aéreos do mundo, Castellini chama a atenção para o fato de quatro serem de países emergentes, Air China, Latam, Singapore e Emirates. Nesse grupo, o especialista ressalta que três recebem subsídios governamentais, restando apenas a Latam como companhia aérea totalmente privada e sem ajuda dos governos de seus respectivos países.

Outro dado que chama a atenção no levantamento é a presença, no raking deste ano, de duas empresas aéreas de baixos custos: a irlandesa Ryanair, em sexto lugar, com valor de mercado de € 5,3 bilhões, e a britânica Easyjet, na 19ª posição, avaliada em € 2 bilhões.

Fonte: http://www.valor.com…em-lista-global

Fusão de Azul e Trip não fará TAM e GOL pousarem no mercado, dizem analistas

Vista aérea do Santos Dumont

Poucas horas antes do anúncio oficial da fusão entre as aéreas Trip e Azul, os investidores podem se manter tranquilos pois, segundo analistas de dois grandes bancos, a operação praticamente não terá impacto sobre os papéis das concorrentes GOL (GOLL4) e TAM (TAMM4).

“Em termos materiais, não deverá ter [efeito negativo] porque tanto a Azul quanto a Trip não são competidoras diretas da GOL e da TAM, especialmente a Trip que só faz vôos regionais”, disse o analista de uma grande instituição financeira estrangeira, que não quis se identificar. Prova disso é que por volta das 11h50 (horário de Brasília) as ações da TAM marcavam alta de 3,14%, cotadas a R$ 42,69, e as da GOL 2,84%, valendo R$ 8,70.

Para o especialista, a fusão não significará grandes alterações no mercado de aviação no curto prazo, pois mostra uma oportunidade da Azul crescer de maneira rápida. “No curto prazo não vejo mais competição e, se a Azul continuar na mesma estratégia, não vai mudar muita coisa [no mecado]”, completou a fonte em entrevista.

Mercado e médio prazo

Vale lembrar que, juntas, as duas empresas detém 14,1% do mercado doméstico de passageiros em março, último dado divulgado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), sendo a Azul com 9,9% e Trip com 4,2%. TAM e GOL detém, respectivamente, 38,2% e 34,4% do mercado.

Deste modo, no curto prazo, essa é mesma visão do analista de outro grande banco internacional. “O impacto negativo [sobre GOL e TAM] é bem pequeno porque são rotas diferentes. Tudo entre as empresa é diferente – rotas, aviões, oferta. Se houver algum tipo de impacto, será pequeno”, completa o analista.

No entanto, somente no médio prazo (de até dois anos), é poderá haver algum tipo de peso sobre a posição das concorrentes de Trip e Azul, segundo o primeiro especialista consultado. “Para o médio prazo, a Azul começa a ganhar mais expressão no mercado doméstico, começando a ir para cima dos aeroportos nacionais de uma maneira mais forte. Ela estará mais fortalecida para competir com elas [GOL e TAM] lá na frente”, conclui a fonte.

Anac aloca à TAM 15 frequências de voo para EUA, 2 para a Alemanha e 3 para a França

 

Boeing 767-300ER da TAM @ SBGR

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicou no Diário Oficial da União desta quinta-feira que alocou à companhia aérea TAM 15 frequências semanais regulares entre o Brasil e os Estados Unidos.

A concessão das frequências ocorre em meio a um acirramento da competição no mercado internacional com a Gol, que mais cedo neste ano pediu à Anac consulta sobre disponibilidade de 14 frequências semanais para os Estados Unidos após fazer uma parceria com a norte-americana Delta Airlines em dezembro .

A agência também alocou à TAM duas frequências semanais entre Brasil e França e três entre o Brasil e a Alemanha, segundo despacho publicado no diário.

Confira abaixo os textos divulgados pela ANAC:

1) PORTARIA ANAC Nº 968, DE 16 DE MAIO DE 2012.

Aloca frequências mistas regulares para os Estados Unidos.

O DIRETOR-PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL – ANAC, tendo em vista o disposto no art. 7º da Resolução nº 57, de 10 de outubro de 2008, com a redação dada pela Resolução nº 154, de 25 de junho de 2010, e considerando o que consta do processo nº 00065.048941/2012-19,

RESOLVE:

Art. 1º Alocar, à empresa TAM Linhas Aéreas S/A, nos termos do Acordo sobre Serviços Aéreos em vigor, 15 (quinze) frequências semanais para a realização de serviços aéreos regulares mistos entre o Brasil e os Estados Unidos.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

MARCELO PACHECO DOS GUARANYS

Diretor-Presidente

Publicada no Diário Oficial da União nº 95, Seção 1, pág. 3, de 17 de maio de 2012.

.

2) PORTARIA ANAC Nº 969, DE 16 DE MAIO DE 2012.

Aloca frequências mistas regulares para a França.

O DIRETOR-PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL – ANAC, tendo em vista o disposto no art. 7º da Resolução nº 57, de 10 de outubro de 2008, com a redação dada pela Resolução nº 154, de 25 de junho de 2010, e considerando o que consta do processo nº 00065.048944/2012-55,

RESOLVE:

Art. 1º Alocar, à empresa TAM Linhas Aéreas S/A, nos termos do Acordo sobre Serviços Aéreos em vigor, 2 (duas) frequências semanais para a realização de serviços aéreos regulares mistos entre o Brasil e a França.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

MARCELO PACHECO DOS GUARANYS

Diretor-Presidente

Publicada no Diário Oficial da União nº 95, Seção 1, pág. 3, de 17 de maio de 2012.

.

3) PORTARIA ANAC Nº 970, DE 16 DE MAIO DE 2012.

Aloca frequências mistas regulares para a Alemanha.

O DIRETOR-PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL – ANAC, tendo em vista o disposto no art. 7º da Resolução nº 57, de 10 de outubro de 2008, com a redação dada pela Resolução nº 154, de 25 de junho de 2010, e considerando o que consta do processo nº 00065.048943/2012-19,

RESOLVE:

Art. 1º Alocar, à empresa TAM Linhas Aéreas S/A, nos termos do Acordo sobre Serviços Aéreos em vigor, 3 (três) frequências semanais para a realização de serviços aéreos regulares mistos entre o Brasil e a Alemanha.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

MARCELO PACHECO DOS GUARANYS

Diretor-Presidente

Publicada no Diário Oficial da União nº 95, Seção 1, pág. 3, de 17 de maio de 2012.